7 alimentos que duram praticamente para sempre

As pessoas mais preparadas (e talvez ansiosas) gostam de imaginar o que elas fariam para sobreviver se uma grande guerra começasse, uma epidemia mortal se espalhasse ou se todo mundo simplesmente desaparecesse da face da Terra.

A primeira coisa a fazer depois de encontrar um abrigo seguro é começar a estocar água e comida.

No filme Bokeh, um casal americano em férias na Islândia descobre que todo mundo desapareceu da noite para o dia. No começo eles se divertem fazendo a festa no supermercado, mas logo eles percebem que precisam planejar cuidadosamente quais alimentos devem ser consumidos antes e como acessar água limpa.

Eles começam com as frutas, verduras, iogurtes e carnes, que são perecíveis. Mas em poucas semanas esses alimentos, apesar de existirem em abundância naquele mercado, vencem e não podem mais ser consumidos. Meses ou anos mais tarde, depois de consumir os alimentos industrializados e enlatados, eles teriam poucas opções além de criar seus próprios animais e plantar seus próprios vegetais.

Mas quais comidas ou temperos podem ser consumidos praticamente para sempre sem arriscar uma intoxicação alimentar? Veja abaixo 8 deles, apontados por pesquisadores sobre nutrição humana da universidade de Coventry (Reino Unido):

Mel

Em 2015, arqueólogos relataram que encontraram mel de 3 mil anos enquanto escavavam tumbas no Egito. Este mel estava em condições de consumo. Essa durabilidade excepcional acontece porque o mel tem altos níveis de açúcar e baixos níveis de água. Assim, bactérias não conseguem crescer nele, e portanto, não conseguem decompô-lo.

O mel também contém pequenas quantidades de peróxido de hidrogênio, que inibe o crescimento de micróbios. Na colmeia, ele ajuda a proteger os ovos e larvas de doenças.

O mel processado por humanos acaba durando mais tempo porque na hora de colocá-lo na embalagem, um tratamento com calor remove a água dele e tampas seladas mantêm a água para fora da embalagem.

O mel pode se cristalizar quando a embalagem é aberta porque os açúcares atraem água, mas essa mudança física pode ser revertida ao esquentar o mel.

Grãos secos

Grãos como feijão, ervilha, grão de bico e lentilhas podem durar muito tempo quando estão secos. Assim como no caso do mel, o segredo aqui está no processamento e armazenamento do produto. Secar o grão aumenta a concentração de açúcar nele e diminui a quantidade de água, o que dificulta a proliferação de bactérias.

Além disso, enzimas que normalmente fariam o produto entrar em decomposição depois da colheita ficam em estado de suspensão. Se a embalagem ou pote onde os grãos estão forem selados, eles podem durar por anos.

Molho de soja

O molho de soja tem o potencial de durar até três anos. A combinação entre o sal e o fato dele ser fermentado significam que quando fechado, ele deve ter uma vida muito longa.

A validade exata depende do tipo do molho e em que temperatura ele fica armazenado depois de aberto.

Vinagre

Muitos argumentam que o vinagre, na verdade, já é vinho estragado. Mas sua natureza ácida significa que nenhuma outra bactéria pode crescer ali, e ele pode durar um longo tempo.

Enquanto o vinagre branco continua igual por um tempo longuíssimo, outros tipos de vinagre podem mudar de cor ou produzir um sedimento. Mesmo assim, o produto pode ser consumido sem medo.

Arroz branco

Arroz branco pode ser consumido até 30 anos depois do processamento, quando armazenado corretamente. O que mais importa aqui é a temperatura e quantidade de oxigênio presentes.

Estudos mostram que baixa temperatura (3℃) e baixo oxigênio parecem ser importantes para sua longevidade.

O curioso é que o arroz integral tem uma vida mais curta que o branco. A capinha fibrosa que fica ao redor do grão contém gorduras insaturadas, que podem ficar rançosas. Então se o seu arroz integral parecer oleoso e com um cheiro suspeito, é melhor se livrar dele.

Chocolate escuro

Há muitos debates sobre a validade do chocolate. A adição de leite reduz a sua duração, portanto o chocolate escuro dura muito mais. Mas para isso, ele deve ser armazenado em um local com temperatura constante, caso contrário sua gordura acaba indo para a superfície e vira almoço de mofo.

Em temperatura constante, porém, o chocolate sem leite pode durar até dois anos ou mais.

Açúcar e sal

Como você deve ter notado até agora, muitos alimentos ricos e sal e açúcar ficam livres das bactérias por mais tempo. Portanto, o próprio sal e o açúcar têm validade longuíssima. Isso acontece porque quando as bactérias caem nesses alimentos, elas perdem água por osmose para o sal ou açúcar. Em outras palavras, as bactérias ficam desidratadas e morrem.

Por isso, usamos sal para salgar carnes como bacalhau e presunto, e usamos bastante açúcar nas geleias e frutas em calda.

Se o sal e açúcar são armazenados em embalagens ou potes selados, longe da umidade, eles não têm data de validade. [ScienceAlert]